Eu apenas ouço Caetano cantando “For No One”

Cry for no one, seria mesmo possível chorar por ninguém? será mesmo possível? por uma presença ausente? Posso imaginar presenças ausentes correndo pelos apartamentos e corredores de 1975, migrando pelas sacadas da Avenida Atlântica, ressurgindo em Belo Horizonte, desligando-se do mar da Tailândia para serem des-vistas, segundos depois, no Mar do Japão
No Mar do Japão emerge um corpo num estado anterior á melancolia, displicentemente tentando não chegar lá. O Corpo de repente desiste de tomar forma e cor e fica ali, como um Banana Boat abandonado numa praia deserta de Salvador, esperando que alguem possa se divertir pois não foi feito para outra coisa (salvar vidas, talvez)
Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s